domingo, 6 de abril de 2008

Quando eu deixar de te amar


"Eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida
Eu vou te amar
A cada despedida
Eu vou te amar
Desesperadamente
Eu sei que vou te amar.

E cada verso meu será..." (Vinícus de Moraes e Toquinho)


Quando eu deixar de te amar

Tânia Regina Cardoso

Quando esse amor acabar
não haverá poesia
a música esvair-se a no ar,
silêncio não tem melodia,
o verso não terá rima,
a vida perderá a alegria,
quando eu deixar de te amar...

quando esse amor acabar
sons não serão ouvidos,
o luar perderá seu brilho,
nem o bramido do mar
fará a vida vibrar,
suas ondas e escumas
não irão acalantar
o barquinho a naufragar
quando eu deixar de te amar...

quando esse amor acabar
após a tempestade não haverá bonança,
o vento forte não se transformará em brisa,
as névoas serão almas em agonia,
as trevas reinarão por toda uma vida,
e a saudade...
ah...a saudade, não cessará,
em mim fará moradia
quando eu deixar de te amar

2 comentários:

Poemas e Cotidiano disse...

Que lindo Tania! Amor intenso, verdadeiro, em cada frase.
Um beijo carinhoso
MARY

lígia Wherli disse...

aprendi na arte uma forma de viver,
de atravessar sonhos de dar vida as fantasias; hoje poesia para mim é vida, é uma arte que se transforma a cada dia e além de todos os meus sonhos o mais lindo é ser poetiza um dia...

(a arte é uma forma que tenho de mi mostrar interiormente, pois, como sempre digo o poema mais nada é que um poeta reprimido ou escondido e transformado em palavras).